A CIRURGIA VASCULAR

A CIRURGIA VASCULAR

O que a angiologia e a cirurgia vascular e a cirurgia endovascular trata? O Cirurgião Vascular é o médico encarregado pelas doenças que acometem os sistemas arterial, venal e linfático. Ainda que seja conhecido mais pelo tratamento de varizes, vasinhos, microvarizes e teleangiectasias, isto é somente uma parte dessa ampla caráter e se precisa ao feito das varizes serem bastante prevalentes em nossa indivíduos e possuirem um fachada estético fundamental.

O angiologista é o médico encarregado pelas doenças clínicas vasculares que não necessitam de intervenção. No entanto é bastante complicado afastar uma caráter de outra. A princípio visto que o paciente que busca o médico não saberá dizer se a comportamento será cirúrgica ou não, isto caberá ao médico optar.

Então as duas subespecialidades estão profundamente relacionadas, sendo o cirurgião vascular acertado a alimentar clínicamente das doenças vasculares não cirúrgicas.

O Cirurgião Vascular que tem similarmente titulação para adotar a Intervenção Endovascular pode utilizar-se de recentes técnicas minimamente invasivas para corporificar procedimentos cirurgicos.

As novas técnicas endovasculares fornecem uma aparência distinto para os pacientes, com tempo de recuperação mais acelerado, incisões mais baixos ou ausentes, pouco tempo de UTI, internações mais rápidas e outras benefícios.

A grande dúvida é: “Por isso visto que todos não fazem o uso de intervenção endovascular para todas as doenças vasculares?” Visto que já há informações precisas para o consumo das técnicas endovasculares. Em alguns casos a técnica clássico também é superior a endovascular.

Por isto é essencial uma cuidadosa investigação e planejamento por cirurgião acertado para corporificar tanto técnica clássico quanto endovascular.

Sistema arterial:

O sistema arterial é constantemente abordado por aterosclerose, que é uma enfermidade evolutiva (surge com a idade) e progressiva. As artérias que apresentam aterosclerose tornam-se estreitas e endurecidas, podendo cabedal inibição da passagem do sangue, levando à isquemia dos tecidos. Isso pode ocorrer no coração (infarto do miocárdio), nas pernas (enfermidade arterial obstrutiva periférica) e similarmente nas artérias do pescoço, as carótidas, acarretando isquemia cerebral, que pode ser transitória (AIT – abuso isquemico breve) ou definitiva (AVC – acidente vascular cerebral).

As artérias similarmente são capazes de se dilatar, formando aneurismas, que são potencialmente graves, uma vez que a dilatação do vaso enfraquece a taipa com a capacidade de abertura do vaso e ajuizado hemorragia, o conhecido por aneurisma roto.

O aneurisma mais comum é o da aorta abdominal. – Aterosclerose, Arteriosclerose, Ateriolosclerose úlceras arteriais AVC (Acidente Vascular Cerebral) derivado de estenose de carótida (isquemia cerebral de origem extracraniana) Pé Diabético Claudicação (dor ao andar, derivado da isquemia, míngua da circulação sangínea periférica) Aneurismas Arteriais, tanto da Aorta abdominal quanto de outras localizações tromboses arteriais isquemia de afiliados inferiores fechamento arterial aguda desbridamentos e amputações (intervenção mutilantes porém potencialmente salvadora de vidas) fasciotomias arterites e vasculites

Sistema venal:

As doenças venosas são as mais frequentes, sendo as varizes e as tromboses venosas as de maior existência. As varizes são veias em afiliados inferiores que se apresentam dilatadas e tortuosas, podendo provocar a sinais como dor, peso e canseira.

A trombose venosa é a formação de coágulos dentro das veias, que são capazes de se desprender e dirigir-se para o pulmão, causando embolia pulmonar. varizes, vazinhos, microvarizes, teleangiectasias, varicorragia, rotura de varizes úlceras venosas tromboflebites e tromboses venosas trombofilias (doenças do sangue que geram coagulação aumentada) acessos venosos profundos e complicados fístulas arteriovenosas para hemodiálise acesso vascular para quimioterapia

Sistema linfático:

Os complicações linfáticos são pouco frequentes e ocorrem no momento em que os afiliados inferiores apresentam dificuldade de drenagem da linfa, com formação de inchaço, que é endurecido e citado. linfangites linfedema erisipela celulite (o termo médico celulite é distinto da celulite popularmente conhecida, e consiste em contaminação) Exames auxiliares (o cirurgião vascular similarmente pode corporificar exames subsidiários de imagem) A ultrassonografia com Doppler é um exame não invasivo de possível prática, bastante benéfico na achado das modificações nos sistemas arteriais e venosos em afiliados inferiores e superiores e similarmente no sistema carotídeo. Ecodoppler arterial e venal (Ultrassom)

Tratamentos:

O laser vem ocupando espaço cada vez maior no tratamento das varizes, tornando-os pouco invasivo.

Intervenção de varizes com laser Intervenção aceite / aberta Intervenção endovascular minimamente invasiva, Angiorradiologia, Radiologia Intervencionista Laser O cirurgião vascular similarmente pode corporificar vários tratamentos que fazem dispositivo para troca de informação com outras especialidades como:

– Fístula arteriovenosa para hemodiálise

– Nefrologia/Urologia Tratamento do lipedema cirurgião e cirúrgico

– Intervenção Plástica/Dermatologia/Endocrinologia

Clinica de angiologia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *